FURNAS - Notícias - Destaques  
 Todos os destaques
    
Íntegra do discurso de posse do novo diretor-presidente de Furnas


Leia a íntegra do discurso de posse do presidente de Furnas, Flavio Decat


"A presidente Dilma Rousseff, ao escolher um ex-servidor desta casa para presidi-la, demonstra toda a confiança que deposita em Furnas, hoje Eletrobras Furnas.

Quis ela, juntamente com o ministro Edison Lobão, evidenciar todo o apreço que tem por essa prestigiosa instituição e todo o apreço que tem por todos os seus colaboradores.

A minha história em Furnas se inicia como jovem engenheiro recém formado, há 41 anos, quando depois de oito poeirentas horas de viagem eu chegava ao meu primeiro emprego como engenheiro.

Eu e mais oito colegas da turma de 1969 da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais, que haviam sido selecionados por Furnas. A chegada à Usina de Furnas vindo de Belo Horizonte é impressionante. De repente o ônibus chega no coroamento da barragem. À esquerda, um enorme reservatório azul turquesa. À direita, cem metros abaixo, o rio Grande voltando espumante ao seu leito correndo por um belíssimo vale.

Cem metros abaixo, aos pés da barragem, uma enorme subestação toda em brita com um amontoado de equipamentos, cabos e linhas, como que lembrando a complexidade da arte de produzir e transportar energia.

Foi a minha primeira imagem de Furnas, e gosto muito de lembrar dela assim.

Durante vinte anos servi a essa casa. Doze aqui mesmo e oito cedido a Itaipu, para onde me levou o meu caro amigo Geovah Machado. Trabalhei na Usina de Furnas, na Usina de Estreito – hoje com o nome de nosso saudoso Luiz Carlos Barreto – trabalhei em Peixoto até vir para o Rio, no Departamento de Operação do Sistema.

Durante este tempo, a imagem de Furnas se consolidou em mim. Furnas grande, imponente, orgulhosa de seus feitos. Uma empresa reconhecida como eficiente, tecnologicamente de ponta, socialmente justa, correta em seus procedimentos e, principalmente, ética.

Voltar a Furnas é como ganhar um belo presente. Agradeço este presente à presidente Dilma Rousseff e ao ministro Edison Lobão por me fazer retornar as origens e poder retribuir um pouco do muito que devo a esta empresa.

Quando aqui cheguei, recém-formado, muito pouco sabia da minha profissão. Da vida, menos ainda. Mas aqui os antigos adotavam os mais novos, eram quase que irmãos mais velhos: apoiavam e ensinavam.

Os técnicos antigos: Silvio Siqueira, Halley, Célio, Hugo... E tantos outros nos ensinavam, nem sempre pacificamente, é verdade, mas nos mostravam os segredos da profissão.

Furnas proporcionou a transformação do engenheiro recém-formado em um profissional do setor elétrico. Graças aos seus profissionais do mais alto gabarito e à excelência técnica, que ontem e hoje caracterizam esta magnífica empresa.

Fiquei aqui 12 anos. Fui formado em Furnas, com muito orgulho.

Neste meu retorno à casa, pretendo incrementar – mais ainda- a prática de uma governança correta, eficiente e a prática de uma transparência absoluta. Furnas precisa mostrar à sociedade que atua com correção, que tem processos e governança justos. È necessário que todos saibam.

E aqui está o maior dos desafios: a boa comunicação com a sociedade através dos muitos mecanismos existentes. É esse o desafio: assegurar maior transparência com melhor qualidade.

Quanto à governança, alguns ajustes são necessários nos processos internos. È importante melhorar a coordenação das áreas de engenharia e construção. A escolha de parceiros nos novos empreendimentos continuará a ser feita por chamadas públicas, conforme critérios definidos pela holding Eletrobras, com extensa divulgação.

Entendo que a escolha de um novo parceiro, dentre os que cumprirem os requisitos de qualificação técnica e financeira necessários, deve recair sobre aquele que melhores condições de retorno oferecer a Furnas. Condições estas possíveis de serem aferidas com critérios objetivos.

A gestão de Furnas nos empreendimentos em parceria será feita conforme novas regras de governança societária que serão instituídas, e que terão como exemplos o praticado no mercado privado e a eficiente gestão societária da Petrobras. As regras deverão melhorar a fiscalização técnica, legal e financeira de Furnas.

Será prioridade absoluta a operação e manutenção de nosso sistema elétrico, responsável por grande parte do fornecimento de energia e espinha dorsal do sistema brasileiro de transmissão em uma área estratégica do País.

Com a equipe técnica de Furnas, reconhecidamente competente, vamos passar um pente fino em nossas instalações.

Isso nos ajudará a entender e corrigir preventivamente eventuais fragilidades do nosso sistema. Sejam de projeto, sejam de critérios de operação ou de métodos de manutenção.

Preocupa-me manter a eficiência da grande força de trabalho de Furnas. É fundamental preparar uma nova geração de talentos e de competências que conduza Furnas no futuro. Não podemos liberar nossos quadros mais antigos sem antes garantir a retenção dos seus conhecimentos, vitais à sobrevivência de Furnas.

Temos que avaliar e maximizar os nossos pontos fortes, dentre os quais se inclui a reputação de Furnas, técnica, operacional e empresarial.

Furnas é uma operadora de grande competência técnica, uma empreendedora e construtora extremamente ágil, cuja qualidade e eficiência há muito suas grandes obras demonstram e comprovam. Furnas era e sempre será emblemática no setor elétrico.

Foi criada na década de 50 por Juscelino Kubitscheck para suprir o Brasil com a energia de que o país tanto precisava. A empresa se acostumou a vencer desafios e nunca mais parou. Foi assim na década de 70, com a inauguração de tantas hidrelétricas; na década de 80, com o linhão de Itaipu e a usina nuclear de Angra dos Reis.

Continua sendo assim até hoje, com os projetos de oito novas hidrelétricas nos últimos anos, incluindo gigantes como Santo Antônio e Teles Pires, na região Amazônica, sem falar da linha de transmissão Porto Velho-Araraquara, a maior do mundo em corrente contínua, e novos desafios como a energia eólica do Nordeste e a biomassa no Centro-Oeste.

Furnas é hoje um gigante. São 20 mil km de linhas de transmissão, pelas quais passam 40% de toda a energia do nosso país; 15 hidrelétricas próprias ou em sociedade com outras empresas, que geram energia suficiente para o consumo de mais de 20 milhões de pessoas; duas termelétricas; e 50 subestações, formando um sistema com dimensões continentais espalhado por 13 estados da Federação. Furnas é uma estrela de primeira grandeza do Sistema Eletrobras e assim deve permanecer.

Vivemos um momento muito especial no Setor Elétrico Brasileiro, em que assistimos aos movimentos de consolidação dos grandes players que aqui atuam. Por isso, precisamos dar continuidade ao movimento de integração e fortalecimento do Sistema Eletrobras.

Um grupo com a grandeza e abrangência da Eletrobras tende à ineficiência se não tiver foco em uma estratégia comum. Há que se reforçar a coordenação, pois otimiza esforços nos sentido de buscar sinergia, mais eficiência, custos menores e melhor qualidade na prestação de serviços.

Dr. Nadalutti, quando em sua posse, em nome da Eletrobras, saudei vossa senhoria, lembrei o nome do engenheiro John Cotrim, nosso primeiro presidente. O grande exemplo para todos aqueles que aqui servem como seus sucessores na direção desta casa.

Quando saí de Furnas, em 1982, tive a oportunidade de ir trabalhar com o Dr. Cotrim em Itaipu, onde fui seu assistente durante quatro anos e cujas lições foram uma dádiva para um profissional ainda em início de carreira. Aqueles que o conheceram e que com ele conviveram sabem de suas qualidades: integridade, amor à pátria, dedicação a Furnas e ao Setor Elétrico, competência técnica e gerencial, força para ousar e coragem para negar o inaceitável!

Dr. Nadalutti, cumprimento respeitosamente vossa senhoria, que hoje nos deixa. Agradeço os serviços prestados por vossa senhoria a Furnas e ao Setor Elétrico, com resultados relevantes para o futuro da empresa, como teve a oportunidade de destacar para todos nós agora há pouco – resultados obtidos durante dois anos e meio de gestão. Um balanço impressionante!

Apresento ao ilustre presidente os meus votos de felicidade pessoal e de sucesso na continuação de sua brilhante carreira.

Meu agradecimento pessoal a todos os presentes neste auditório e também aos que estão nos acompanhando nos telões ou em seus computadores, em todas as áreas de Furnas.

A presença de tantas autoridades, amigos, familiares e companheiros de trajetória profissional aqui reunidos dá a dimensão do desafio que é assumir a presidência de Furnas.

Mas, ao mesmo tempo, me dá uma extraordinária carga de energia, vinda do carinho de tanta gente querida.

Caros companheiros de Furnas, minha convocação é para que hoje comecemos uma nova jornada sob a inspiração dos que escreveram a belíssima história de nossa empresa.

Temos a obrigação de consolidar, desenvolver e defender esse patrimônio brasileiro. É preciso que cada um de nós tenha orgulho de dizer: Eu sou de Furnas!

Assumo aqui o compromisso de trabalhar incansavelmente para que este sentimento seja resgatado, e, para isso, é indispensável ter cada um de vocês ao meu lado.

Peço humildemente a todos e a cada um o apoio e comprometimento na missão que ora se inicia e que a todos pertence.

Que Deus nos ilumine.

Viva Furnas!

Muito obrigado!"




   

   

   

   

   

Publicado em: 02/16/2011